Será que existem alienígenas entre nós? Parece uma pergunta não muito científica, mas pode ser uma questão da Astrobiologia. A diferença é que não estamos falando de homenzinhos verdes ou reptilianos, mas sim de seres vivos totalmente diferente do que conhecemos. Pode não parecer, mas toda a vida que conhecemos é muito parecida. Bactérias, fungos, plantas, animais e seres humanos, todos seguem a mesma receita. Mas será que existe algum ser vivo totalmente diferente de tudo que já vimos vivendo entre nós? A resposta para essa pergunta é: pode ser que sim.

Receita da vida

Todos os seres vivos que conhecemos, desde a menor bactéria até a maior planta ou animal são feitos basicamente dos mesmos elementos químicos. Mais do que isso, eles se organizam mesma maneira, formando células com as mesmas maquinarias moleculares. E todas as células funcionam do mesmo jeito, seguindo o Dogma Central da Biologia.

O Dogma Central da Biologia foi proposto em 1958 (publicado em 1970) por Francis Crick e consiste na hipótese de que a informação segue um fluxo em todos os seres vivos que conhecemos. A informação genética passa do DNA para o RNA por meio da transcrição e do RNA para proteína por meio da tradução. A informação é replicada quando a célula se divide, passando para os descendentes por meio da replicação do DNA.
Esquema do Dogma Central da Biologia. Fonte: Terabytes of Life

O Dogma Central da Biologia é o conceito de que existe um fluxo de informação dentro das células que nunca se inverte. A informação genética que está no DNA é transcrita para uma molécula intermediária mensageira, o RNA, e só então essa informação é traduzida para proteínas, que efetuam todos os processos dentro da célula. O passo de RNA para proteína é chamado de tradução e é realizado por ribossomos.

Se tivéssemos que escolher um grupo de moléculas para definir a vida, escolheríamos os ribossomos. E é exatamente isso que cientistas fazem. Ribossomos são responsáveis por um dos passos mais fundamentais da vida que conhecemos, então não é absurdo pensar “se queremos achar vida, então devemos procurar por ribossomos“. Ou, mas especificamente, procurar pelos genes que codificam as proteínas dos ribossomos. Usando dessa lógica, experimentos já conseguiram concluir que todos os micro-organismos que conseguimos cultivar em laboratório representam menos de 1% das espécies que existem.

Todos os micro-organismos que já conseguimos cultivar em laboratório representam menos de 1% das espécies que existem.

Um detalhe interessante: mesmo os 99% desconhecidos ainda são formados de células e são compostos pelo mesmo punhado de elementos químicos. Sabemos disso porque eles também têm ribossomos, ou seja, funcionam seguindo a mesma receita do 1% conhecido. Mas será que não existem outras receitas que a vida pode seguir?

Receitas alternativas

A verdade é que não sabemos quais receitas seriam possíveis para a vida seguir ou até se existem receitas alternativas. Isso porque não sabemos definir vida. Só conhecemos um exemplo: a que encontramos todos os dias aqui na Terra. Os seres vivos que conhecemos seguem a mesma receita porque todos eles evoluíram a partir de um único ancestral comum, como uma grande família. Assim como primos compartilham feições, as espécies compartilham a mesma maquinaria.

Isso não quer dizer que não existam outras receitas com outras maquinarias. Talvez só seja difícil descobrir se é possível existir uma vida totalmente diferente quando encontrarmos um exemplo. Até agora não descobrimos nenhuma receita alternativa, mas não significa que não exista. É razoável pensar que podemos encontrar essa “outra vida” em outros planetas, já que são ambientes tão diferentes e distantes, porém e se eles estiverem aqui na Terra?

Representação artística do que seria a biosfera oculta na Terra. Um conjunto de seres vivos totalmente diferente daqueles que conhecemos e que não conseguimos ver com os métodos atuais da ciência.
Ilustração por Kamran Samimi. Retirado de “Detecting the Shadow Biosphere”, Vice.

Uma coisa importante é que todos os nossos métodos para procurar vida são baseados na vida que já conhecemos. Mesmo se uma vida completamente diferente estivesse na nossa frente, talvez não conseguíssemos vê-la. Isso vale para vida fora da Terra, mas também para nosso próprio planeta. Indo mais longe: e se aqui na Terra existisse toda uma biosfera oculta?

Todos os métodos para procurar vida são baseados na vida que já conhecemos.

Até o momento, não existem evidências concretas da existência de um conjunto de seres vivos completamente desconhecidos e diferentes aqui na Terra nem em outro corpo planetário. Por outro lado, não existem evidências concretas de que tais seres não existam. Por hora, só pensar sobre o assunto colabora muito com o avanço da Astrobiologia porque nos faz questionar se estivéssemos cara a cara com vida extraterrestre, conseguiríamos perceber?


Para saber mais

Artigos Relacionados:

Artigos Relacionados: